25 Abril 2024

Jessica Pegula supera Amanda Anisimova em emocionante desempate em Charleston

3 min read

“Belíssimo jogo no saibro, meu primeiro aqui. Caramba! Primeira partida aqui, que desafio.”

A reação de Jessica Pegula após a partida dizia tudo na noite de terça-feira. A número 5 do mundo perdeu os primeiros cinco jogos do seu confronto com a compatriota americana Amanda Anisimova, antes de lutar para conseguir uma vitória por 3-6, 6-4, 7-6 (3) no Credit One Charleston Open.

“Foi tão equilibrado. Eu continuava olhando para a tela, os pontos ganhos. Parecia realmente parelho o tempo todo. Obviamente, ela começou muito bem, estava arrasando no início,” disse Pegula a Andrew Krasny em quadra.

Anisimova começou com o tipo de tênis que a levou às semifinais de Roland Garros quase cinco anos atrás. Com 1-0, Anisimova criou um par de break points com um backhand vencedor na linha e seguiu com um backhand dropshot intocado. Pegula evitou perder o set por 6-0, e mesmo recuperando uma quebra de desvantagem, Anisimova fechou o set com um vencedor de smash—seu 15º do set contra sete erros não forçados.

Iniciando o segundo set mantendo seu serviço a zero, Pegula emplacou três jogos seguidos de 2-2 para tomar controle. Embora Anisimova tenha pedido um tempo médico quando estava 2-5, a jovem de 22 anos eventualmente se reencontrou no jogo quando um backhand profundo forçou um erro de forehand de Pegula. A principal cabeça de chave mostrou sua resiliência ao imediatamente se recuperar, apresentando uma clínica defensiva para gerar a re-quebra e forçar a decisão.

Perdendo um break point no quarto jogo, Pegula capitalizou em seu próximo jogo de retorno para avançar 4-2. Mas Anisimova se manteve firme trazendo alguns de seus melhores golpes para a quadra. Um vencedor de forehand de dentro para fora negou a Pegula um ponto de jogo e um vencedor de forehand cruzado seguiu o mesmo caminho para dar a Anisimova outra chance de break—uma chance que ela aproveitou quando a tentativa de Pegula de cortar um dropshot da devolução de sua oponente caiu muito curta.

Anisimova continuou lutando contra momentos de pressão para se manter junto de sua compatriota. Em 3-4, precisou de todo o seu serviço de 108 mph para eliminar um ponto de quebra. Em 4-5, tendo liderado originalmente por 40-15, Anisimova salvou um ponto de partida atraindo Pegula para a rede com um slice de backhand baixo e curvando um forehand cruzado na quadra aberta. Em 5-6, ela se manteve firme após ser pressionada até o deuce.

No tiebreak, Pegula avançou. Um retorno de forehand perfurante a preparou para finalizar com um convincente backhand para 2-1, iniciando uma sequência de cinco pontos. Anisimova salvou mais dois pontos de partida, mas mandou um forehand para fora para perder seu quarto ponto consecutivo no serviço—e, em última análise, a batalha árdua após duas horas e 25 minutos. As duas compartilharam um caloroso abraço na rede.

“É sempre bom quando você consegue passar por esses jogos difíceis logo de início,” disse Pegula. “Eu acho que isso realmente prepara você para mais tarde no torneio, se você chegar lá. Vou tentar usar isso esta noite.”